• Akeso Clinic Center

Benefícios cardíacos da dieta DASH com baixo teor de sódio são ‘rápidos e diretos’

Jennifer Lubell - Medscape



Novos dados mostram pela primeira vez que a combinação da dieta DASH (sigla do inglês Dietary Approaches to Stop Hypertension) com restrição de sódio diminui a lesão miocárdica e a tensão cardíaca, que estão associadas a comprometimento cardíaco subclínico e risco cardiovascular em longo prazo.

"Os benefícios de uma alimentação saudável são rápidos e diretos. O alto teor de sódio não se relaciona apenas com o sabor, causa tensão cardíaca", disse ao Medscape o Dr. Stephen Juraschek, Ph.D., médico do Beth Israel Deaconess Medical Center, nos Estados Unidos.

"Devemos, de forma consciente, seguir uma dieta rica em frutas e vegetais e com baixo teor de sódio. Coletivamente, devemos pensar sobre como os alimentos são promovidos na sociedade e qual é a quantidade aceitável de sódio nos alimentos", disse o Dr. Stephen.

Os achados, provenientes de uma análise secundária do ensaio clínico Dietary Approaches to Stop Hypertension (DASH) – Sodium, foram publicados na edição de 1º de junho do periódico Journal of the American College of Cardiology.


Foco renovado na dieta

"Esses dados devem incentivar a renovação do foco em relação à grande necessidade de disseminação da adoção da dieta DASH com baixo teor de sódio nos Estados Unidos", escreveram os coautores de um editorial que acompanhou o estudo.

"O desafio continua a ser tirar a dieta DASH com baixo teor de sódio do mundo acadêmico e leva-la para o mundo real, onde seus significativos benefícios para a saúde podem ser plenamente percebidos", acrescentaram.

Os pesquisadores avaliaram o impacto da dieta DASH e da restrição de sódio, individualmente e combinadas, em biomarcadores de lesão cardíaca (troponina I cardíaca de alta sensibilidade, hs-cTnI), tensão cardíaca (peptídeo N-terminal tipo B pró-natriurético, NT-proBNP) e inflamação (proteína C reativa de alta sensibilidade, hs-PCR).

O ensaio clínico DASH–Sodium foi um estudo de alimentação controlado que inscreveu 412 adultos (média de idade de 48 anos; 56% eram mulheres e 56% eram negros) com pressão arterial (PA) sistólica entre 120 e 159 mmHg e diastólica entre 80 e 95 mmHg, sem tratamento com anti-hipertensivo. A média da PA ao início do estudo foi de 135 × 86 mm Hg.

Os participantes foram randomizados entre alimentação americana típica (controle) ou a dieta DASH saudável para o coração. Além disso, os participantes em ambos os grupos foram atribuídos a cada um dos três níveis de ingestão de sódio: baixo (0,5 mg/kcal), médio (1,1 mg/kcal) ou alto (1,6 mg/kcal) por 30 dias usando um desenho cruzado com períodos intermediários de wash-out.

Em comparação com os controles, a dieta DASH reduziu a hs-cTnI em 18% e hs-PCR em 13%, sem impacto no NT-proBNP.

Em contraste, a redução do sódio de níveis altos para baixos reduziu o NT-proBNP em 19%, independentemente do tipo de alimentação adotado, mas não alterou a hs-cTnI e aumentou discretamente a hs-PCR (9%).


A combinação da dieta DASH com a redução de sódio diminuiu a hs-cTnI em 20% e o NT-proBNP em 23%, sem alteração significativa na hs-PCR, em comparação com a dieta de controle com alto teor de sódio.

"Juntos, esses achados sugerem que duas estratégias nutricionais distintas podem melhorar duas vias principais de comprometimento cardíaco subclínico: lesão e tensão", escreveram Dr. Stephen e colaboradores.


"Esses achados devem fortalecer a determinação por políticas públicas que promovam o padrão alimentar DASH e a redução da ingestão de sódio nos EUA e em todo o mundo", concluíram.


"Precisamos conversar mais sobre a DASH. A maioria dos adultos nos EUA nunca ouviu falar dessa estratégia", disse o Dr. Stephen ao Medscape.


"Precisamos promover a alfabetização nutricional no que diz respeito aos fatos nutricionais. As informações contidas nas embalagens dos produtos não são muito transparentes e são difíceis de entender. Muitas pessoas não sabem onde o sal se esconde em sua dieta", acrescentou.


Também será importante abordar as disparidades no acesso a alimentos saudáveis e a insegurança alimentar, ressaltou o Dr. Stephen.


"Se não abordarmos os custos e o acesso aos alimentos, as disparidades na alimentação saudável persistirão. A chave é uma maior equidade. Também devemos estar atentos às populações que dependem de outras pessoas para o preparo das refeições (crianças nas escolas ou idosos nos planos alimentares). Isso pode ser regulamentado de forma a promover uma alimentação mais saudável em toda a população, mas esses pacientes podem não ter autonomia para escolher o que comer", disse o Dr. Stephen.


No editorial, as médicas Dras. Neha J. Pagidipati e Laura P. Svetkey, da Duke University School of Medicine e do Duke Clinical Research Institute, nos EUA, afirmaram que uma importante advertência é o fato de os efeitos benéficos da dieta e da restrição de sódio sobre lesão e tensionamento cardíacos terem sido observados em pessoas sem qualquer evidência clínica de doença arterial coronariana ou insuficiência cardíaca no início do estudo, "sugerindo que esta combinação nutricional pode melhorar métricas subclínicas de saúde cardíaca."


"Além disso, o impacto sobre esses marcadores foi visto em semanas, indicando um impacto relativamente rápido no comprometimento cardíaco", acrescentaram.


A avaliação dos biomarcadores cardíacos foi financiada pelos National Institutes of Health (NIH)/National Heart, Lung, and Blood Institute (NHLBI). O estudo original da DASH recebeu apoio do NHLBI, do Office of Research on Minority Health e do National Center for Research Resources dos NIH. O Dr. Stephen e os coautores informaram não ter conflitos de interesses. A Dra. Neja recebeu financiamento de pesquisa institucional das empresas Amgen, AstraZeneca, Boehringer Ingelheim, Eli Lilly, Novartis, Novo Nordisk, Regeneron, Sanofi e Verily Life Sciences; e recebeu remuneração por consultoria das empresas Boehringer Ingelheim, Eli Lilly, AstraZeneca e Novo Nordisk. A Dra. Laura informou não ter conflitos de interesses.


J Am Coll Cardiol. 2021;77:2625-2634, 2635-2637. Abstract , Editorial

Benefícios cardíacos da dieta DASH com baixo teor de sódio são ‘rápidos e diretos’ - Medscape - 10 de junho de 2021.

4 visualizações0 comentário